terça-feira, 17 de abril de 2012

O machismo não tem graça! Nota de repúdio à charge do jornal O Globo.


Nós, mulheres e feministas da Marcha Mundial de Mulheres do Rio de Janeiro repudiamos a charge de hoje, 17 de abril, publicada na capa do jornal O Globo. A charge sugere que mulheres, mesmo em posições de liderança, estão sempre submetidas aos homens, suas ordens e escolhas, o que nos torna, mais uma vez, objeto de um imaginário machista onde nós, mulheres, somos desqualificadas continuamente.

O machismo atua baseado em um repertório de simbologias, discursos, crenças e piadas que se concretizam na pratica produzindo um mundo extremamente desigual. No Brasil, a cada 15 segundos uma mulher sofre algum tipo de violência. Nós, mulheres continuamos ganhando em média 30% a menos do que os homens, mesmo quando ocupamos a mesma função. Nós, mulheres, trabalhamos 16 horas semanais a mais do que os homens e ainda sim somos as mais pobres. Nós, mulheres, estamos nas ocupações e empregos mais precarizados, inseguros e sem direitos. Nós, mulheres feministas, ainda lutamos para ocupar os espaços de poder e para que desta forma possamos contribuir para a transformação do mundo rumo à igualdade e emancipação.

A piada sugerida pela charge só nos mostra o quanto ainda temos que caminhar na construção de um mundo onde as mulheres possam exercer sua autonomia e liberdade, a favor de uma sociedade sem opressões e explorações de qualquer tipo. O machismo não tem a menor graça e a nossa luta pela ampliação da participação de mulheres no poder não pode ser ridicularizada. Nós, feministas, repudiamos a charge de hoje assim como repudiamos a desigualdade e violência produzidas pelo machismo em nossa sociedade.



                                         Continuaremos marchando, até que todas nós sejamos livres!

                                                                           MMM- RJ

7 comentários:

Anônimo disse...

Acho que a charge é estremamente oportuna e deveria ser aceita como objeto de estudo. Ela é ácida mas é extremamente justa - e não É machista, muito pelo contrário. Ser defensor da igualdade sexual NÃO É simplesmente ter mulheres em posição de poder (Tatcher na Inglaterra prova isso!)
Acho que meu queridoChico Caruso mandou brilhantemente, o mundo continua dos homens, do machismo e do capitalismo!
Não importa o que um grupo de mulheres não conhecido por seu brilhantismo intelectual, muito menos pelo senso de humor, possa achar.
Em defesa (não que ele precise) da honra de Chico Caruso como jornalista, combatente da liberdade, da igualdade em todos os campos, e em defesa da liberdade de expressão (frequentemente esquecida em tempos do "politicamente correto", que para mim significa HIPOCRISIA. ainda bem que Chico nâo é PC - ele é um dos poucos que sobrevivem para serem artistas!
Luciana Crespo, jornalista (eu só o vi pessoalmente uma única vez, no que seria o deslanchamento da nossa campanha salarial em 1990 - abortada pelo Plano Collor).
Eu não sou um robô, e faço pessoalmente várias críticas ao movimento feminista dominado pelas estadunindenses, com seu viés puritano e conservador.

Sandra disse...

A charge critica o machismo e não o apóia, caso não tenham notado.

Jaqueline disse...

Concordo que a arte pode ter várias interpretações e retratar o machismo é uma forma de denunciá-lo, mas, também acho que se o objetivo desta charge era expor que o mundo ainda é dominado por homens, pra que esses semblantes de felicidade de ambas??? Passa a ideia de ausência de insatisfação, de luta, submissão consentida, esse é o ponto; então, vai me desculpar, trata-se de um trabalho machista sim, pois isto não é o que está acontecendo isto é o querem que pensamos.

Mirela disse...

Acordem meninas... depois falam que o feminismo vê chifre na cabeça de cavalo e a gente chia!

Tá SUPER na cara que o cartunista está exatamente CRITICANDO essa postura androcentrista do mundo e não diminuindo as mulheres.

Por favor né galerinha, mais atenção.

Jaqueline disse...

Quem tem que prestar mais atenção é você minha cara... sim ele expôs neste trabalho o androcentrismo, a questão, porém, é a forma que este foi exposto com as duas sorridentes, passando a ideia de submissão, que muito provavelmente você não percebeu... Esta é minha crítica a charge, que ao retratar o machismo acabou sendo machista também. Agora se há pessoas que não sabem observar as sutilezas, ou aceita tudo sem fornecer nenhuma crítica construtiva, azar o delas; é o por causa de deficiência como essas que se “nota” o preconceito, seja ele qual for, nas suas manifestações mais “bizarras”...

procurando, espero. disse...

Todo texto padece da imprevisibilidade de quem interpreta. Nós lançamos aqui uma interpretação: pensamos que a charge é uma ironia ao fato de que mulheres estejam no poder mas que esse poder é apenas fictício.A charge sugere que as mulheres, na verdade, só estão representando a vontade politica de homens poderosos. Sim, achamos que é um retrato irônico de uma submissão concedida e isso, para nós, é grave. Não achamos, de modo algum, que só pelo fato de mulheres estarem no poder garantiria avanços para a luta feminista na direção de uma sociedade mais justa. Apenas pensamos que a luta por visibilidade no campo do poder, para as mulheres, é urgente e não queremos ser reféns de uma cultura machista que nos pensa sempre como sujeitos passivos, submissos, reféns do protagonismo masculino. Não estamos fazendo um debate sobre o que o cartunista pensou mas sim do que ele, em nossa opinião, conseguiu comunicar. Para quem acha que Dilma segue no poder apenas seguindo ordens do Lula, pergunte a quem ela estava seguindo ordens quando foi presa e torturada em nome da luta por liberdade e emancipação politica. Essa luta continua e queremos respeito!

Anônimo disse...

"Eu não sou um robô, e faço pessoalmente várias críticas ao movimento feminista dominado pelas estadunindenses, com seu viés puritano e conservador."

Em outras palavras:"sou contra o movimento feminsita que prega contra exploração sexual da mulher,pois este é um privilégio sagrado para nós homens machista." E o sujeito ainda manda a máxima dos conservadores:ser contra humor machista é ser "politicamente correto".E claro,tudo escrito da forma mais refinada possível,para demostrar que o sujeito é um "crítico social de bom nível intelectal".Nada mais irritante!

E vocês deixaram passar isso em branco? Devemos também atacar estas manifestações machistas que muitas vezes são consideradas "opiniões".Ler tal coisa foi tão nogento quanto ver aquela charge "humorística".